Primeira vez aqui? Seja bem vindo e cheque o FAQ!
x

Qual a diferença, na prática, entre um graduado em economia e um mestre em economia? E qual a diferença entre um mestre e um doutor em economia?

0 votos
165 visitas
perguntada Jan 1 em Academia por Valério Londe (21 pontos)  

Eu tinha uma visão de que o mestrado em economia é feito por aqueles que querem seguir a carreira acadêmica. Mas pesquisando um pouco mais pude perceber muitos centros de pós graduação em economia aplicada, o que ajudaria muito na inserção profissional. Parece haver um diferencial muito grande -- que eu não consigo mensurar, pois estou na graduação(economia) ainda -- entre um mestre e um graduado.
Minhas dúvidas são as seguintes:

1) Qual o perfil esperado de um estudante de mestrado em economia?

2) Em que casos e por quais motivos um bom aluno de graduação deve fazer um mestrado em economia em detrimento do início de uma carreira profissional? É possível mensurar com mais clareza os custos e benefícios envolvidos nesse trade-off?

3) Qual o perfil esperado de um estudante de doutorado em economia?

4) Quais os custos e benefícios envolvidos entre fazer ou não um doutorado em economia? Doutorado apenas para quem quer seguir carreira acadêmica? É possível fazer doutorado e ir para o mercado? A diferença salarial entre um doutor e um mestre compensa o custo de oportunidade de não ir para o mercado após o mestrado?

Compartilhe

1 Resposta

0 votos
respondida Jan 1 por danielcajueiro (5,251 pontos)  

1) A melhor forma de quantificar o perfil esperado de um bom estudante de economia é através da prova da ANPEC. Com excessão de economia brasileira (eu acho que não precisaria haver uma prova de economia brasileira), acho que estudante que se sai melhor nas outras provas é o melhor preparado.

2) Como existem várias alocações diferentes para o graduado em economia, o melhor é você olhar onde você deseja chegar. Quem é o economista que você mais adimira? É um economista que está na academia ou no mercado? Se ele estiver na economia, ele provavelmente tem mestrado e doutorado. Se ele estiver no mercado, depende. Quem são? É muito comum economistas em cargos importantes terem doutorado em uma boa instituição. Vale a pena você pesquisar.

3) Um bom aluno de doutorado é aquele que fez mestrado em um excelente programa de mestrado. Os melhores em minha opinião são: FGV-Rio, FGV-SP, Puc-Rio, USP e UnB. Uma outra boa qualificação é ter publicado um artigo em uma revista séria ou pelo menos ter uma noção do que é uma contribuição de pesquisa.

4) Acho que esse tópico já foi respondido em (3), não?

5) Qual a diferença entre um estudante de graduação, mestrado e doutorado?

O nível de maturidade e especificidade. Cada vez que você relê um problema, mais você aprende. Nesse caso específico, de um nível para outro, você usa em geral mais matemática, estatística e computação. Por outro lado, já no mestrado você começa estudar com mais cuidado uma área e no doutorado vc precisa contribuir com uma área de sua escolha.

comentou Jan 1 por Valério Londe (21 pontos)  
A maioria dos grandes centros não considera a prova de economia brasileira. Mas por que, na sua opinião, não precisaria haver uma prova de economia brasileira?
comentou Jan 1 por danielcajueiro (5,251 pontos)  
Economia Brasileira é irrelevante no contexto de Teoria Economia (microeconomia) ou até macroeconomia de uma forma geral. Por outro lado, ter um background de economia brasileira não vai ajudar em nada o primeiro ano de mestrado: Análise na Reta (nivelamento), Matemática I, Micro I, Macro I e Econometria I. Um bom aluno irá fazer também Micro II, Macro II e Econometria II. Optativas: Finanças, Métodos Computacionais (e tb machine learning), Avaliação de Política Públicas, Teoria da Decisão, Economia Experimental, Organização Indústrial etc. Se você tiver um professor de Macro que entenda de conjuntura econômica, ele pode até contextualizar com exemplos/erros de economia brasileira, mas o fato de você saber ou não não vai fazer diferença no aprendizado da teoria. Até porque teoria econômica (micro e macro) são universais e economia brasileira é algo meramente local e cheio de erros.
comentou Jan 2 por Valério Londe (21 pontos)  
Um estudante com sólidos conhecimento em matemática, considerando toda aquela lista de cursos de matemática: análise no Rn, teoria da medida, todos os cálculos, álgebra linear, teoria da probabilidade, um pouco de topologia, cálculo numérico e variável complexa poderia pedir dispensa da disciplina de matemática1 no primeiro semestre do mestrado? Ou aquele estudante  que já tenha devorado o livro do Mas-Collel poderia pedir dispensa de micro1?  
Já ouve casos assim?
comentou Jan 2 por danielcajueiro (5,251 pontos)  
Não existe pedido de dispensa para disciplinas não cursadas. A disciplina precisa ser formalmente cursada em um curso de mesmo nível (graduação ou mestrado), programa de qualidade equivalente (por exemplo mesma avaliação da CAPES), conteúdo equivalente (acho que o critério é que haja sobreposição em 70% do conteúdo), pelo menos a mesma carga horária do curso que você deseja substituir e tb cursada nos últimos 5 anos. Na UnB qualquer pedido de dispensa vai para o coordenador da área que junto com uma comissão fará a decisão.
...