Primeira vez aqui? Seja bem vindo e cheque o FAQ!
x

O que é a filosofia falsificacionista? Quem são os seus principais autores?

+2 votos
53 visitas
perguntada Jun 3, 2015 em Metodologia Científica por Pietro Ribeiro (426 pontos)  
Compartilhe

1 Resposta

+3 votos
respondida Jun 14, 2015 por marcelo_papini (306 pontos)  
selecionada Jun 14, 2015 por Pietro Ribeiro
 
Melhor resposta

Resposta telegráfica a uma pergunta que pode constituir tema de dissertação em concurso acadêmico: Em linhas gerais, Karl Popper sustentou que nenhuma ciência fosse definitiva e que apenas fosse aceita, enquanto previsse descrições dos fenômenos que concordassem com os resultados dos experimentos.
Assim, da perspectiva metodológica, os experimentos teriam como principal escopo não a VERIFICAÇÃO dos axiomas da ciência vertente mas a sua FALSIFICAÇÃO, a qual exigiria uma revisão do sistema de axiomas (excluindo-se os postulados que implicassem previsões falsificadas empiricamente).
Mas as coisas não são tão simples, pois dificilmente um pesquisador aceitaria derrubar uma teoria triunfante que fosse contrariada por apenas um conjunto de experimentos. E mesmo quando diversos experimentos contestam uma teoria, se investigam outras alternativas.
Por exemplo, a teoria da gravitação de Newton não foi abandonada pelas discrepâncias entre a órbita calculada do planeta Urano e a órbita descrita pela observação astronômica. LeVerrier preferiu postular a existência de um outro astro, de significativa massa, que seria responsável pelas discordâncias. Sugeriu aos astrônomos a posição de tal astro e a sua existência foi posteriormente confirmada. A esse novo planeta foi dado o nome de Netuno.
As principais fontes da tese da falsificação são a obra do próprio Popper. Mas um texto introdutivo bastante elucidativo é Alan F. CHALMERS: O que é a ciência afinal? (Nesse texto encontram-se diversas referências bibliográficas.)

...